9 de julho de 2012

77| De Música e Literatura

Grosso modo, melodia é enredo e harmonia é estilo.
Pode-se fruir música só pela harmonia, ou literatura só pelo estilo?

Algo me diz que jamais poderemos prescindir da essência: a melodia, o enredo.

2 de julho de 2012

76| Do valor da abstração

Adora o invisível, o incógnito, o insondável.
E a inteligência disto te impelirá além do possível...

75| De ser mulher e ser homem

Ser mulher é saber. Ser homem é duvidar.
Ser mulher é ter. Ser homem é buscar.

74| De Deus e futebol

Deus é que nem time: cada um tem o seu.

E pasmem: tem gente que nem torce futebol...

73| Dos apelidos

Quais as coisas que merecem vários nomes?
Naquilo a que damos numerosos apelidos estão arrimadas nossas afeições...

29 de abril de 2012

72| Da sapiência e uma sua consequência

Se muito estudaste e pensaste, ao ponto de te tornares bastante sabido, tuas percepções e teus conselhos bem poderiam ser de ajuda para outrem...

Quanto a ti? Dificilmente encontrarás quem te possa ajudar.

71| Da serventia de Deus

Não há questão quanto à existência de Deus.
É óbvio que Ele existe... Nós lhe demos nome!
Então a questão é: pra que serve?

5 de abril de 2012

68| Da ironia mais pura

Após um filme no cinema. Na rua, dentro do carro, dando a partida para ir embora... Eis que vem uma pessoa correndo em minha direção. Já sei de que se trata...

― Poc-poc! (duas pancadas com as unhas na janela; ao que concedo, descendo o vidro).
― Oi? (como se não soubesse o porquê do assédio, e querendo mesmo saber...).
― Tchlim-tchlim (sacudindo um saco de moedas). Ajudinha aí...
― Tem não (tão neutro quanto possível).
― Vá com #&*%.

Pude sentir a quase exclamação nessa última linha.

67| De fortuna e poesia

Como pode o afortunado querer ser poeta?

26 de março de 2012

22 de março de 2012

65| De quadro pendurado em vão

Tanta gente escolhe o quadro pelo tamanho do vão...
E será que não se dão conta de que nem mesmo são obrigados a colocar qualquer coisa na parede?

Tem que valer ao menos o furo, ao menos o prego!

64| De fantasmas

Não lhe disseram?
Fantasmas são uma espécie de vermezinho que faz morada dentro da nossa cabeça...
Não lhes dê de comer, senão eles crescem e tomam conta de tudo.

21 de março de 2012

63| De arrogância e humildade

Prefiro a humildade dos arrogantes à arrogância dos humildes.

62| De sonhos e canções

Uma canção é como um sonho.
Ela não surge naqueles momentos em que é escrita e cantada - aí ela meramente toma forma.
A canção resulta, como o sonho, de todos os estímulos que se viveu até ali, sem ter em conta tempo nem espaço.
É um quadro composto de fragmentos vários...

20 de março de 2012

61| De ser ou não ser

E é então que, sabendo não poder ser  e assim mesmo buscando ser o mais que possa , dirão que você é...

60| De deus

Deus é o porvir...

59| De sorriso e felicidade

Não se apresse em julgar o grau de felicidade de alguém pela generosidade ou sovinice com que dispensa sorrisos.

"Era ainda pequenino quando aprendi a sorrir, e não sabia o que era felicidade..."

14 de novembro de 2011

58| De amor e perfeição

Nada é perfeito, senão aquilo a que se ama...
Daí decorre que o cientista não deve amar suas teorias.

Em amor, como se sabe, há várias modalidades; obviamente, aqui se trata do amor cego.

57| Da alma do artista

A alma do artista é a sensicriativontade.

56| Da necessidade da Música

Desde os primórdios, a Música fundou-se e floresceu na necessidade dos agrupamentos humanos de organizar, de harmonizar, de sintonizar, enfim: de comungar...

27 de julho de 2011

55| De sermos animais

Um simples gatinho pode nos vexar, ostentando a singeleza daquilo que cremos ser tão complexo. O que é a vida...? O que é o amor...?

Viver: querer estar vivo. Amar: querer estar perto.

11 de julho de 2011

54| Da fotografia: digital X analógico

A foto digital automática é algo muito apartado da vida real.
Automaticamente focada, ajustada, facilitada...
Fácil de capturar. Fácil de apagar.
Pegar, descartar, retomar. Conferir.......
Tem-se quantas chances insistir pra fazer a foto... perfeita?

A foto analógica é: incógnito, incerteza, limitação, falibilidade, unicidade, ansiedade, humanidade...
Já reconhecemos que as imperfeições na foto de filme eram poesia?

6 de julho de 2011

53| Do sorriso falso

Ingênuo...
Costumei pensar que o sorriso falso seria um aviltamento a si mesmo, um autorrebaixamento de alguém que não ousava ser sincero frente a pessoas poderosas...
Qual o quê... O sorriso falso é o modo de dar o troco sem fazer alarde.

52| Da fé

Fé é algo pra se ter em si mesmo.
Um acreditar revestido do inquestionável, do inegável, do inexplicável...
Algo que se crê por dever biológico, quântico, transcendental...

51| Do caminho rumo à maturidade

O caminho para atravessar a crise entre a adolescência e a maturidade autônoma é transformar-se em alguém parecido com a pessoa que você tantas vezes desejou ter por perto para lhe dar conselhos...

16 de maio de 2011

50| Da comunicação

A comunicação  essa que exercemos todos os dias ao abrir um sorriso, dirigir um olhar, ou, resumindo, ocupar o espaço à nossa volta  ainda é, até hoje, a tecnologia mais avançada e complexa de que dispomos no mundo.

8 de maio de 2011

49| De cães e senhores

Somos os deuses de nossos cães.
Eles têm nos donos o guia, a morada, a segurança, a providência, a autoridade...
Já imaginou como seria a vida dos pobres cachorrinhos sem nós, seus senhores?
Dura, certamente.
Incerta, insegura, difícil, desafiante..... E livre!

48| Das subjetividades relativa e absoluta

Pessoas que se apresentam em sintonia com o ambiente em que cresceram, repetindo-o em diversos aspectos, parecem provar a influência determinante do meio social na formação pessoal.
Em contrapartida, aquelas que resultam contrastantes com o meio em que viveram querem provar que nasceram destinadas a ser o que são.

47| Da existência das coisas

Nenhuma coisa existe sem que lhe demos nome.
Deus aparece na resposta às perguntas difíceis; e tal resposta foi providência do Homem...
Uma pedra, não tendo em si mesma consciência ou função de que possa usufruir, não tem existência - senão para nós, que nela vemos sentido, e lhe conferimos existência...

46| Da intuição

O que é a intuição?
Gosto de entendê-la como um meio de conhecer e fazer escolhas...

Não como em Ciência ou Direito, quando leis devem ser consideradas, confrontadas e atendidas dalgum modo; mas um julgamento pessoal das coisas, e decidimos de acordo com o que nos é valioso.

Às vezes, depois de alguns dias a meditar um assunto, já temos a escolha em nível semiconsciente e nem nos demos conta ainda: aí esteve em ação a intuição...
E ela flerta com o inconsciente (o onisciente).

45| Da sinceridade

E embora seja um convite à aproximação, a sinceridade, ao contrário, muitas vezes assusta as pessoas, afastando-as.

44| De música e língua

Pros falantes de linguagem musical, vale o mesmo que pra linguagem verbal: com respeito à regra, "ela tem de apanhar todo dia pra saber quem é que manda".

Há um porém: para quebrá-la com estilo convincente, há que fazê-lo conscientemente...

19 de abril de 2011

43| Da renovidade

É tendência natural nos tornarmos mais exigentes ou menos sensíveis à medida que crescemos em experiência ou conhecimento...
Isso vale pra tudo: prazer, e dor.
Entre os prazeres, vale pra cachaça e pra música, pro repasto e pra poesia, pro bate-papo e pras exposições de arte...
A exigência é simplesmente expectativa; a sensibilidade, abertura.

Na já vivida vida, a graça está na exceção a essa regra, quando, de repente, sem se apreender bem como aconteceu: o boteco da esquina parece uma ótima opção; a música do tocador de rua vem até você plena de significados; o almoço de todo dia está mais quentinho e "tem algum tempero novo, né, Dona Maria?"; um e-mail encaminhado ou uma mera reflexão de facebook bate e faz você se emocionar de verdade; você conhece alguém por acaso na rua ou numa fila e pensa que poderiam ser amigos; ou, ao se deslumbrar com a paisagem de seu próprio bairro, tem vontade de fazer curso de fotografia e retratá-lo como você o vê...

16 de abril de 2011

42| Da per---ção

Nada é perfeito. Nada mesmo...
Quando, ao considerar um objeto qualquer, você o chama perfeito, é porque não o conhece o suficiente ou não tem então as percepções assaz afinadas.
E o que distingue as pessoas são as ilusões de perfeição que cada um tem...

15 de abril de 2011

41| Da verdade social

Venho dizer algo óbvio pra muitos:
Não há verdade em sociedade.
Ao que parece, os mais bem-relacionados socialmente são os mais bem-treinados em maquiagem.

10 de abril de 2011

40| Do número 3

3 são eles.
3 é síntese.
3 é lá.
3 é fora.
3 é todo o resto...
3 é fruto de 2.
3 é família.
3 é estabilidade, equilíbrio.
3 é o plano.
3 é desempate, intermediação, diplomacia.
3 é paz.
3 é vermelho, amarelo e azul: todas as possibilidades...
3 é bastante.

39| Do número 2

2 és tu.
2 é antítese.
2 é aí.
2 é entre.
2 é espelho.
2 é tensão, relação, alteridade.
2 é humano.
2 é complexo.
2 é necessidade, complementaridade.
2 é homem e mulher.
2 é sexo.
2 é guerra.
2 é com: comparação, contraste, confronto, combate, convivência...
2 é altruísmo.
2 é a reta, é ligação.
2 é preto e branco.
2 é a eterna busca de 1...
2 é completude, é preenchimento.
2 é o bastante.

38| Do número 1

1 sou eu.
1 é tese.
1 é aqui.
1 é dentro.
1 é o infinito total dentro de mim...
1 é divino.
1 é simples.
1 é o máximo.
1 é inteireza, perfeição.
1 é o fim.
1 é tudo - mas apenas o meu tudo, só pra mim!
1 é egoísmo.
1 é o ponto.
1 é o sol.
1 é luz!
1 é solidão, meditação, transcendência...
1 é o todo insuficiente.

37| Do número 0

0 é ninguém.
0 é nenhures.
0 é o infinito nulo dentro de si...
0 é o mínimo.
0 é o incógnito, o inacessível...
0 é a origem.
0 é nada - vazio que a ninguém pertence.
0 é a escuridão cega...
0 é negação, ausência, abismo!
0 é inexistência.

36| Dos números primos

São mesmo especiais os números primos.
Eles são, entre os números, como as pessoas brilhantes e únicas... personalidade forte, autonomia...
Nenhum outro os pode substituir.
Não me agrada um 8, um 15 ou um 100.
Se era pra ser um número, tomara fosse 19, 13, 7, 101 ou outro entre os primos...

5 de abril de 2011

35| Da autoestima

É uma lógica estranha, complexa... mas há muitas situações quando se sente que é mesmo necessário omitir ou até esconder qualidades que se tenha, com vistas a escapar ao despeito, à inveja, ao boicote.

E então, muitas vezes, não é fácil saber o quanto mostrar de si, e de que modo...
Encontrar o equilíbrio é ter resolvida a autoestima.

34| De os últimos serem os primeiros

O preferido, por seguro, pode se acomodar.
O preterido, numa revolução, pode mais longe se lançar...

4 de abril de 2011

1 de abril de 2011

32| De certo e errado

Certo e errado são conceitos relativos, questionáveis...
Mas isso só até quando nasçam nossos filhos.

31| De pensar a fundo e pensar rápido

O pensar a fundo (reflexivamente) e o pensar rápido (praticamente) são  não completamente, mas em grande medida  incompatíveis.
E, claro, são ambos necessários e úteis  em contextos distintos.

30| Da orquestra social

Numa orquestra  ou em qualquer outra reunião de músicos, de qualquer dimensão  há de haver harmonia para que o conjunto produza boa música...

Assim é também com as comunidades e com a sociedade como um todo.
Se pudéssemos ouvi-la, como estaria soando a orquestra nacional?
Na orquestra, todo músico deve seguir a partitura que lhe cabe  não sem atentar pra execução de seus colegas e pro efeito total , assim como respeitar a condução do maestro, ainda que guarde ressalvas contra ele.

Os insatisfeitos devem saber que alterações de toda sorte podem ser efetuadas; nunca por deliberação individual ou ao vivo, mas de modo consultivo, durante os ensaios.

Não esquecer: tudo isso pelo bem da sinfonia.

4 de fevereiro de 2011

29| Do mundo ideal

Ideal e perfeito são coisas distintas.
Ideal não é indefectível...
O mundo ideal é aquele em que, apenas sempre que possível, sejam desfeitos os defeitos e, sempre e sempre, corretos os erros.

1 de fevereiro de 2011

28| De inteligência e divindade

Entendo que nisto todos concordamos: há entre inteligência e divindade uma íntima relação...
A discórdia se dá é a partir da seguinte questão:
Dentre as duas, qual a que surgiu primeiro?

28 de janeiro de 2011

27| Do dom da bela voz

Quase que tão-somente do dom depende a bela voz.
Diferentemente dos outros instrumentos musicais, a qualidade da voz pouco depende de teoria, treino ou qualquer outro fator fora da essência do dom, que, sensibilizado, estimulado, torna-se nalgo capaz da magia de fazer sorrir ou chorar...
Não há disciplina que supere o encanto da voz crua, bela e afinada por natureza.

24 de janeiro de 2011

26| Do amadurecimento social

A capacidade de mentir e fazer concessões está na base do amadurecimento social.

25| De poetas e pensadores

Poetas e pensadores estão nos bastidores de toda revolução.

24| De "Imagine" e ética global

John Lennon cantou "Imagine there's no countries / It isn't hard to do...".

Imaginar não é já fácil, imagine realizar!

O único modo fácil  ou rápido, pelo menos  de unir as nações todas seria uma ameaça extraterrestre à humanidade... E por quê? Porque o Outro se manifestaria fora de qualquer instância conhecida: o vizinho chato então não seria mais de porta, de rua ou de cidade, tampouco de estado, região ou país, mas de Terra...

Enquanto isso não acontece, tudo o que se pode fazer é buscar leis sempre mais justas, pois o Homem não é justo, a Natureza não é justa... Mas as relações entre as pessoas podem chegar a sê-lo.

Devemos nos dedicar a uma ética global, rumo à Lei universal  quando todos ganharão ou perderão juntos. Aí seremos "a brotherhood of Man".

19 de janeiro de 2011

16 de janeiro de 2011

22| Da desilusão do ser

A vocês que leem estas linhas, sinto muito comunicar-lhes a desilusão do ser.
Sei, a princípio é difícil conviver com tal ideia; posso lhes garantir, entretanto, que é algo maior do que eu que roga que eu o afirme.
Como sói com as notícias sérias e profundas e reveladoras, há sempre uma parte boa e uma ruim; e é bom-senso começar pela ruim...
Então aí vai: nada é.
Mas a boa: tudo pode ser.

11 de janeiro de 2011

20| Do poder

Força, sexo e dinheiro estão todos na mesma esfera, a do poder: têm a ele acesso direto e são todos conversíveis entre si  de um jeito ou de outro.

A inteligência, coitada, inveja um lugar entre os três, mas, diferente dos absolutos ocupantes da esfera  cujo exercício é mais imediato e explícito , deve estabelecer aliança com algum deles, comumente com o dinheiro, para participar do poder.

19| De verdade e mentira

A mentira é fácil, simples e curta.
O caminho pra verdade é longuíssimo, talvez sem fim... mas quanto mais você o trilha, mais seguro você fica.

19 de dezembro de 2010

18| De vidas e canções

A vida é como uma canção: realizamos muitas peripécias, damos voltas e voltas, mas quase sempre acabamos voltando ao ponto de partida... Numa boa canção, no entanto, não se pode chegar ao fim sem haver sentido forte emoção, transmitido uma mensagem e aprendido umas lições.

15 de dezembro de 2010

17| Dos cristãos

Todo cristão quer se sentir filho de Deus, mas bem poucos querem realmente tê-Lo como pai.

7 de dezembro de 2010

16| Da obviedade da vida

A vida nada é senão viver.

15| De dor e regeneração

É quando feridos que estamos mais vivos!
Pois há dor, e há regeneração...

14| De mar e infinito

O mar é o infinito alcançável: visível, tocável, desfrutável...

13| De gentileza e respeito (ou de como é frequente estarmos no prejuízo, pois o lucro só começa além do respeito)

A gentileza é como um presente  por ela ansiamos, mas sem qualquer garantia. Já o respeito é diferente  podemos e devemos exigi-lo; por ele lutemos com unhas e dentes!

12| Da paixão II

Apaixonar-se é ter a impressão de que se está a contemplar a perfeição.

11| intra X inter

A evolução (intrapessoal) é que nos faz ascender e transcender, e não a competição (interpessoal)  esta pode no máximo nos levar a subir e ultrapassar.
Para sermos melhores, não temos de ser melhores que os outros, mas melhores que nós mesmos.

10| Do relativismo

Pensando bem, não existem o certo e o errado.
O que há é o bom e o ruim, e subjetivamente.

Tudo é absolutamente relativo, senão um ente: a Natureza, que é relativamente absoluta.

9| Da paixão I

Apaixonar-se é o modo mais fascinante de estar estúpido.

8| Das pistas (lembrando Sherlock Holmes)

Semioticamente falando, é-se também o que se tem...
Aquilo que trazes contigo te representa, dá pistas acerca de teu lugar no mundo.

6 de dezembro de 2010

7| Da ciclicidade

Não há o estático na vida; ela é sempre dinâmica...
Bom é sujar-se para, em seguida, fazer-se limpo outra vez.

6| Do prazer de caçar

Caçadores têm prazer em caçar...
Não tem graça se a caça se joga e se debate assim aos pés do caçador; ele aí não se interessa senão quando a fome seja demasiada.
À caça cabe o flertar de longe, quase imperceptível, que é já estímulo suficiente para o instinto do caçador...

5| Da beleza

A beleza é uma dádiva...
Com ela não se tem parte por mérito ou direito, mas apenas por acaso.
Então que os belos não arroguem para si qualquer ponta de superioridade.

4| Da resiliência, ou da volta por cima

Tudo o que porventura lhe tenha acontecido de mau, qualquer coisa que o tenha feito sentir-se diminuído ou humilhado: que não tenha sobre você apenas efeito negativo  antes, que sirva para aprimorar sua atitude frente à vida.

3| Da simplicidade da vida

A vida, no mais das vezes, é muito simples...
É nós que complica.
É saber o que se quer e, sabendo, mandar brasa!

2| De profundidade X superficialidade

Se você resolve se dedicar a estudar (ler, refletir, aprofundar-se nos mistérios...), você arranja muito assunto mas ninguém pra conversar.

1| Da atitude jovem

Realmente é um saco envelhecer.
Por isso prefiro viver jovem e ir enfrentando as consequências de tal atitude...