5 de abril de 2012

68| Da ironia mais pura

Após um filme no cinema. Na rua, dentro do carro, dando a partida para ir embora... Eis que vem uma pessoa correndo em minha direção. Já sei de que se trata...

― Poc-poc! (duas pancadas com as unhas na janela; ao que concedo, descendo o vidro).
― Oi? (como se não soubesse o porquê do assédio, e querendo mesmo saber...).
― Tchlim-tchlim (sacudindo um saco de moedas). Ajudinha aí...
― Tem não (tão neutro quanto possível).
― Vá com #&*%.

Pude sentir a quase exclamação nessa última linha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário